Rijksmuseum: Museu de História e Arte em Amsterdam


O Rijksmuseum é um dos museus mais procurados de Amsterdam e também é o mais visitado da Holanda, tendo recebido aproximadamente 2,5 milhões de visitantes durante o ano de 2014. Juntamente com o Van Gogh Museum e a Anne Frank House, é uma atração essencial para ser visitada na cidade, principalmente se você tem interesse sobre história e arte. Nós tivemos a oportunidade de passar metade do dia no Rijksmuseum e abaixo você encontra mais informações sobre o museu e as principais peças que encontramos na sua coleção.

Como Chegar no Rijksmuseum?

O Rijksmuseum fica localizado na região da Museumplein (Praça dos Museus) no endereço Museumstraat 1. A partir do centro você pode ir facilmente andando até o local, mas se você quiser chegar de transporte público, a maneira mais fácil é pegar um bonde (tram). O Rijksmuseum pode ser acessado pelos trams 2 e  5 (estação Rijksmuseum) ou pelos trams 7 e 10 (estação Spiegelgracht). Veja nosso post mostrando como se locomover de transporte público em Amsterdam.

Rijksmuseum

Rijksmuseum

Como Visitar o Rijksmuseum?

O Rijksmuseum abre diariamente das 9h às 17h, inclusive no dia de Natal e Ano Novo. Os ingressos podem ser adquiridos na hora ou com antecedência. Nós recomendamos muito adquirir os ingressos com antecedência já que as filas para comprar o ingresso podem estar muito grandes. Comprando antecipadamente pela internet, você imprime seu ingresso para apresentar na entrada do museu. É importante mencionar que mesmo comprando o ticket online você precisará entrar na fila que fica do lado de fora do museu (fila de controle), mas depois que você passa por este controle não é necessário pegar a outra fila interna para a compra do seu ingresso.

Rijksmuseum Atrio

Rijksmuseum – Átrio

Tanto o ingresso pela internet quanto o ingresso comprado na hora custam 17,50 Euros (preço de Janeiro/2015) e o ingresso pode ser comprado neste link. Se você também pretende fazer um tour de barco por Amsterdam, nós recomendamos comprar o ingresso através da nossa empresa parceira TicketBar que oferece uma ótima condição de combo do museu com um passeio de barco por Amsterdam.

Se você vai visitar o Rijksmuseum e está em posse do I Amsterdam City Card, há um desconto de 2,50 Euros, embora para este caso você precise pegar também a fila da compra do ingresso. Para quem deseja conhecer ainda mais e entrar no detalhe de cada uma das obras, há um guia multimídia que pode ser adquirido no próprio local pelo preço de 5 Euros (valor de Janeiro/2015). Além de áudio, este guia multimídia possui uma tela que mostra mais detalhes sobre cada obra do museu.

Independente da maneira que você comprar o seu ingresso (online ou no local), vale a pena chegar cedo no Rijksmuseum para aproveitar mais a sua visita e não perder muito tempo com a fila de controle do lado de fora do museu.

Veja mais opções de ingressos em Amsterdam e faça sua compra clicando neste link. Você tem desconto em várias atrações, evita filas e o blog ainda ganha uma comissão da TicketBar. Você consegue visitar uma atração bacana e é uma ótima maneira de retribuir as informações que você teve no blog. Todos ganham !

Rijksmuseum

O Rijksmuseum foi fundado na cidade de Haia, se mudou para Amsterdam no ano de 1808 e se localizava no Royal Palace. O edifício atual do museu foi inaugurado no ano de 1885 e foi desenhado por Pierre Cuypers, possuindo uma mistura do estilo gótico com o renascentista. Com o passar do tempo o Rijksmuseum sofreu uma série de melhorias e restaurações, sendo que a maior delas aconteceu entre os anos de 2003 e 2013 com um custo de 375 milhões de Euros. Durante este período várias alas do museu ficaram fechadas e as suas principais obras foram alocadas em outros museus da cidade ou alas adjacentes ao Rijksmuseum, a principal delas chamada de Philips Wing que abrigou a grande obra prima do museu: A Ronda Noturna de Rembrandt.

O Rijksmuseum é muito grande e para aproveitá-lo por completo você precisaria de um dia inteiro. São 4 níveis e 2 alas principais, totalizando 8 coleções. Há também setores especiais como o Pavilhão Asiático e a própria Philips Wing que funciona como um centro de exposições especiais e temporárias. As seguintes coleções podem ser vistas no museu:

Rijksmuseum Mapa

Rijksmuseum – Mapa – Clique para Ver Detalhes de Cada Coleção

Infelizmente não tínhamos todo o dia disponível para visitar o museu e acabamos focando nos principais setores: 1100-1600 e 1800-1900, os dois localizados do lado direito do mapa. Além disso, no centro do terceiro nível do museu (entre as coleções 1600-1650 e 1650-1700) se encontra o Grande Salão, a Sala da Ronda Noturna e a Galeria de Honra, três salões incríveis que também tivemos a oportunidade de visitar.

Rijksmuseum – Coleção 1100-1600

A coleção 1100-1600 do Rijksmuseum é baseada na Idade Média e no Renascimento. Na Idade Média a fé cristã era onipresente e andava lado a lado com a arte. Já no século XV houve um interesse em resgatar aspectos da antiguidade Greco-Romana, produzindo um arte e uma visão de mundo oposta àquela encontra na Idade Média. No Rijksmusem você pode encontrar diversas obras relacionadas à este período e abaixo você encontra alguns dos destaques desta galeria:

The Crucifixion (1507-1510) é uma obra de Jacob Cornelisz van Oostsanen e representa a crucificação de Jesus Cristo no monte Calvário. No mesmo local também é representado simultaneamente diversas cenas da Paixão de Cristo.

The Crucifixion

The Crucifixion

The Saint Elizabeth’s Day Flood (1490-1495) é uma pintura anônima que representa a enchente do dia 19 de novembro de 1421 que cobriu boa parte da Holanda. A região de Dordrecht foi muito danificada com 23 vilas submersas e 2000 mortos e a pintura retrata um pouco desta história.

The Saint Elizabeth Day Flood

The Saint Elizabeth’s Day Flood

Mary Magdalene (1530) é uma obra de Jan van Scorel e também é outro destaque desta coleção. Maria Madalena é o destaque da pintura segurando uma jarra que era usada para lavar os pés de Jesus Cristo. O autor a pintou com vestimentas luxuosas e sedutoras como uma referência a sua reputação de prostituta no passado. Suas roupas também mostram a influência da pintura italiana.



Vai Viajar? Faça seu Seguro Viagem com Desconto.

Mary Magdalene

Mary Magdalene

Ten Weepers from the Tomb of Isabella of Bourbon (1475-1476) são 10 esculturas atribuídas a Renier van Thienen. Isabel de Bourbon, esposa de Carlos Duque da Borgonha, morreu no ano de 1465. Sua filha, Maria, fez um funeral em sua homenagem e colocou em volta de sua tumba 24 esculturas para lamentar a sua morte e mostrar a importância da dinastia. Das 24 esculturas originais, apenas 10 restaram e são mostradas no Rijksmuseum.

Ten Weepers from the Tomb of Isabella of Bourbon

Ten Weepers from the Tomb of Isabella of Bourbon

Além destes, há vários outros destaques e obras desta coleção e no site oficial do museu é possível encontrar mais informações sobre cada uma delas.

Rijksmuseum – Coleção 1800-1900

A coleção 1800-1900 do Rijksmuseum é baseada no século XIX onde os Países Baixos já estavam estabelecidos como um reino e testemunharam grandes avanços científicos e modernização. As pinturas acompanharam este período, se tornando mais individualistas a medida que o século passava. No Rijksmusem você pode encontrar diversas obras relacionadas à este período e abaixo você encontra alguns dos destaques desta galeria:

Banner representa o período que Napoleão tornou Amsterdam a capital do seu reino: “Luís Napoleão, Rei da Holanda, presenteia a sua capital Amsterdam estes troféus conquistados dos seus inimigos através dos cidadãos holandeses”.

Banner Napoleao

Banner – Napoleão

Uma outra obra do período de Napoleão é a The Battle of Waterloo (1824) por Jan Willen Pieneman. Este quadro é o maior do museu e representa o ponto de virada da batalha quando o Duque de Wellington, comendante britânico, ouve que as tropas da Prússia estão a caminho. Assim, a vitória e o término de 20 anos de guerra estão próximos e representados nesta pintura.

The Battle of Waterloo

The Battle of Waterloo

Girl in White Kimono (1894) é um pintura de George Hendrick Breitner que fez aproximadamente 12 pinturas de uma garota em um kimono. Ela assume diferentes poses e o kimono também muda de cor em cada uma das pinturas.

Girl in White Kimono

Girl in White Kimono

A maior coleção de quadros de Vincent Van Gogh se encontra no Van Gogh Museum que tivemos a oportunidade de visitar. Porém, no Rijksmuseum você também encontra quadros do pintor pós-impressionista como este auto retrato que o representa como um parisiense durante o período que este viveu na capital francesa.

Auto Retrato Vincent Van Gogh

Auto Retrato de Vincent Van Gogh

Além destes, há vários outros destaques e obras desta coleção e no site oficial do museu é possível encontrar mais informações sobre cada uma delas.

Rijksmuseum – The Great Hall

O Grande Salão do Rijksmuseum está representado no centro do mapa do começo de post. Durante a renovação do museu entre os anos de 2003 e 2013, este salão ele foi completamente restaurado para o seu estado original. Ele é um grande espaço com chão de mosaico, paredes cheias de pinturas e vitrais e faz a conexão com a Galeria de Honra.

Great Hall Rijksmuseum

The Great Hall – Rijksmuseum

Rijksmuseum – The Gallery of Honour

A Galeria de Honra do Rijksmuseum é um extenso corredor que conecta o Grande Salão a Night Watch Gallery. Nas suas paredes estão obras de grandes artistas do séculos XVII.

The Gallery of Honour Rijksmuseum

The Gallery of Honour – Rijksmuseum

Rijksmuseum – Night Watch Gallery

A Night Watch Gallery do Rijksmuseum é o local mais visitado e abriga a obra Ronda Noturna (1642) de Rembrandt que possui um lugar de honra no museu. A maior e mais famosa pintura de Rembrandt foi feita para o sede da milícia dos arcabuzeiros. O local representa um dos inúmeros salões da milícia de Amsterdam. O capitão, vestido de preto, está dizendo aos homens para começar a marchar e estes estão entrando em formação. Rembrandt usou a luz para focar em detalhes particulares como o gesto do capitão e e garota na parte de trás.

Night Watch Rembrandt

Night Watch – Rembrandt

Há ainda diversos outros locais do Rijksmuseum para serem visitados, todos com coleções impressionantes. Como não tínhamos muito tempo, acabamos visitando apenas as galerias acima e já levamos cerca de metade de um dia para visitá-las. Assim, se você gosta muito de arte, é possível ficar o dia todo dentro do museu e, se você quer ver apenas as principais obras, metade de um dia é suficiente.

Mais Informações

Site Oficial do Rijksmuseum: https://www.rijksmuseum.nl/en


 

I Amsterdam LogoO blog my Destination Anywhere recebeu apoio da Press Office da Amsterdam Marketing e do Rijksmuseum para a realização da visita. A parceria foi realizada, mas a opinião no relato é pessoal.

Faça suas reservas com a gente!

 

Faça suas reservas clicando nos links dos nossos parceiros. Você não vai pagar nada a mais por isso e o blog ganha uma comissão para continuarmos trazendo novos conteúdos e é uma ótima maneira de retribuir as informações que você obteve no blog. Todos ganham!

1477164494_city Reserve seu hotel pelo Booking.com

1477164553_car Alugue seu carro com a RentCars

1477164568_add Adquira seu seguro viagem com a Seguros Promo

1477164715_camera Reserve seus tickets para atrações pela Ticket Bar (EUA e Europa) e com a DayTour4u (Argentina, Colombia e Uruguai, e Brasil)

1482250327_mobile Compre câmbio com Melhor Câmbio

1482250327_mobileCompre seu chip com a EasySym4U

1477164599_editdocument Quer um roteiro de viagem pronto? Conheça a coleção 3 Days Anywhere

Você precisa fazer uma reserva de hospedagem?

Me encontre

Erick Stengrat

Sou formado em Química pela USP, trabalho com Desenvolvimento de Embalagens e também sou responsável pelo conteúdo do blog my Destination Anywhere. Adoro viajar para destinos isolados, mas também não dispenso uma cidade grande. Já pisei em 11 países e só penso em aumentar a lista.
Me encontre

Tire sua dúvida ou faça um comentário legal =)