Machu Picchu: Visitando a Cidade Perdida dos Incas 3


Durante a nossa viagem para Cusco já estávamos esperando com grande ansiedade o momento de partir para Machu Picchu, a cidade perdida da civilização inca. Já tínhamos tido um pouco de contato com a história deste povo pré-colombiano através do City Tour que fizemos em Cusco, pelas terraças de Moray e também do roteiro que fizemos pelo Vale Sagrado dos Incas. Porém, Machu Picchu é especial e merece toda a sua atenção, podendo se tornar um dos lugares que ficarão marcados na sua memória eternamente.

Machu Picchu

Machu Picchu

Neste post nós falaremos sobre as nossas impressões de visitar Machu Picchu e tudo o que fizemos em um dia que visitamos o local. Para ter maiores informações úteis, acesse os posts abaixo:

Machu Picchu: Cidade Perdida dos Incas

A data exata do “descobrimento” de Machu Picchu é de 24 de julho de 1911 e está creditada ao professor americano da Universidade de Yale Hiram Bingham que estava a frente de uma expedição. Porém, esta expedição já possuía informações de outros exploradores que já tinham visitado e mapeado o local, indicando até a localização exata das montanhas Machu Picchu e Huayna Picchu. O professor Hiram Bingham foi o grande responsável pela difusão da região ao redor do mundo onde lançou um livro chamado “A Cidade Perdida dos Incas”. Com o passar dos anos ela atraiu turistas do mundo todo até que em 1983 foi nomeada Patrimônio Mundial da UNESCO e em 2007 foi votada como uma das “7 Novas Maravilhas do Mundo”.

Por ser um Patrimônio Mundial da UNESCO, Machu Picchu possui acesso relativamente fácil para quem está disposto a pegar um trem até o povoado de Aguas Calientes e de lá pegar uma van para chegar na entrada do parque (veja aqui como chegar até o local). Logo na entrada do parque tivemos um linda vista da região montanhosa entre a folhagem das árvores.

Entrada de Machu Picchu

Entrada de Machu Picchu

Machu Picchu Regiao

Região da Entrada do Parque

A nossa recomendação é contratar um guia com a agência de turismo que você estiver reservando os seus passeios em Cusco para que ele te explique toda a história do local. Geralmente os guias passam nos hotéis de Aguas Calientes na noite do dia anterior para te falar o horário e como encontrar o seu grupo na entrada do parque. O nosso guia foi reservado pela Fabulous Peru Tours que foi a agência que fechamos todos os nossos passeios na região. A Fabulous Peru Tours é credenciada no Ministério do Turismo do Peru que dá uma segurança maior para os turistas que procuram por agências sérias na região.

A melhor maneira de entender o trajeto realizado pelos guias é através do mapa oficial do parque:

Mapa de Machu Picchu

Mapa de Machu Picchu

A van que parte de Aguas Calientes te deixa nos pontos 2 e 3 que é onde está a entrada de Machu Picchu e os guias percorrem a rota tradicional (vermelha + azul) que demora cerca de 3 horas para ser feita, já considerando as paradas no caminho. Já as rotas amarelas são alternativas que possuem trilhas de nível fácil, médio e difícil, com diferentes durações de percurso.

Se você quiser fazer a rota tradicional e todas as rotas alternativas, é preciso reservar dois dias em Machu Picchu. Se você quiser realizar a rota tradicional e mais uma ou duas rotas alternativas, um dia inteiro é suficiente. Agora se você saiu de Cusco para chegar em Machu Picchu um pouco antes do almoço e só terá este dia para visitar, será possível apenas fazer a rota tradicional pelo pouco tempo que você terá no local.

O nosso guia começou contando um pouco da história de Machu Picchu enquanto subíamos uma pequena trilha que leva ao mirante que aparece nas fotos de cartão postal, com uma visão panorâmica de toda a cidade inca e da montanha Huayna Picchu. É uma sensação única e uma paisagem impressionante, daquelas que não são esquecidas.

Machu Picchu

Machu Picchu

O mirante se encontra na zona agrícola de Machu Picchu que é melhor observada olhando para o lado direito onde estão as terraças sobre a ladeira (mesmo padrão que vimos em Písac e Moray) e também construções ao seu redor que serviram como armazéns.

Machu Picchu Zona Agricola

Zona Agrícola

Machu Picchu Armazens

Armazéns

Machu Picchu Regiao

Vista para a Cadeia Montanhosa

O caminho continuou pela entrada principal de Machu Picchu que era a única porta de acesso para a zona urbana. É uma porta grande e, segundo o nosso guia, ela tinha estas dimensões para permitir que as lhamas cruzassem os portões e para carregar os membros da alta sociedade quando estes visitavam a cidade. Um pouco mais a frente você passa por uma área de pedras muito grandes e de formato irregular, mostrando que neste local se fazia o polimento e quebra das pedras que faziam parte da estrutura da cidade.

Machu Picchu Porta de Entrada

Porta de Entrada

Machu Picchu Pedras

Zona de Quebra e Polimento de Pedras

Em seguida, passamos pela zona religiosa onde você encontra o Templo das 3 Janelas com os muros formados de grandes blocos poligonais formando um quebra cabeça. Nesta zona também está o Templo Principal que foi o grande local de cerimônias da cidade.

Machu Picchu Templo das Tres Janelas

Templo das 3 Janelas

Machu Picchu Templo Principal

Templo Principal

Um pouco mais a frente você encontra uma colina de forma piramidal e no seu topo está a pedra chamada de “Intihuatana”, um dos objetos mais estudados de Machu Picchu e que está relacionado a acontecimentos astronômicos. Depois desta colina você já está mais próximo da montanha de Huayna Picchu que pode ser subida através de um ingresso que precisa ser comprado com antecedência (Huayna Picchu está na rota adicional em amarelo). Se você visitar Huayna Picchu no segundo horário (entrada das 10h – 11h), o guia já te deixa no local e volta para a entrada do parque com os outros visitantes. Veja como se programar para visitar Huayna Picchu.



Vai Viajar? Faça seu Seguro Viagem com Desconto. Seguro viagem geral 728x90

Machu Picchu Intihuatana

Intihuatana

Huayna Picchu

Huayna Picchu

Voltando para a entrada do parque, passamos por várias construções que possuem indícios que elas funcionavam como uma espécie de universidade para que os aprendizes tivessem a oportunidade de se tornar reis no futuro. Há também um grande campo aberto onde eventos sociais e celebrações eram realizadas.

Machu Picchu Universidade

Universidade

Neste ponto observamos também uma estrutura oval que é o Templo do Sol. Infelizmente não era possível visitá-lo já que a estrutura está geologicamente abalada, mas o guia nos mostrou uma foto do solstício de verão e inverno onde as janelas estão posicionadas de acordo com o alinhamento do sol. Quase no final do roteiro voltamos para a zona agrícola e pudemos observar melhor as suas dimensões.

Machu Picchu Templo do Sol

Templo do Sol

Machu Picchu Terracas

Terraças da Zona Agrícola

Fazer o tour com um guia foi ótimo e é altamente recomendado. O único problema é que há muitas pessoas fazendo o mesmo roteiro e às vezes é complicado prestar atenção nas explicações, mas com certeza vale muito a pena. O tour guiado termina por volta das 11h e você tem o resto do dia para conhecer mais o local por conta própria.

Nós voltamos para a entrada do parque para comer alguma coisa já que o consumo no interior não é permitido. O preço é salgado: um lanche e um refrigerante custam aproximadamente 25 Nuevos Soles. O custo para usar o banheiro é de 1 Nuevo Sole. Depois das energias recuperadas voltamos para dentro do parque (você pode entrar e sair quantas vezes quiser no mesmo dia) para fazer a Trilha da Porta do Sol e a Trilha da Ponte Inca.

Machu Picchu – Trilha da Porta do Sol

Nós não tínhamos reservado a subida em Huayna Picchu e nem na Montanha Machu Picchu onde você precisa agendar com antecedência e pagar um valor adicional ao da entrada do parque. Assim, com o tempo restante resolvemos fazer as rotas adicionais que são gratuitas. Uma destas rotas é a Trilha da Porta do Sol que é incrível e, se você não fizer Huayna Picchu, vale a pena considerar esta trilha.

Trilha da Porta do Sol Caminho

Trilha da Porta do Sol – Caminho

Trilha da Porta do Sol Caminho

Trilha da Porta do Sol – Caminho

A Trilha da Porta do Sol não é difícil de ser feita, mas a altitude faz com que tudo se torne mais complicado. O caminho de ida é de subida e dura aproximadamente 45 minutos. Já o caminho de volta é mais fácil e você consegue fazer na metade do tempo. Durante o percurso você consegue ver toda a cadeira montanhosa da região com mais detalhes e o povoado de Aguas Calientes.

Trilha da Porta do Sol

Trilha da Porta do Sol

Trilha da Porta do Sol Vista Aguas Calientes

Trilha da Porta do Sol – Vista para Aguas Calientes

Chegando no final da trilha há uma pequena construção que é chamada de Porta do Sol. Neste ponto você observa que está no mesmo nível de altura de Huayna Picchu, mas observando a cidade inca de uma distância maior. É uma ótima alternativa se você não quiser subir Huayna Picchu e ainda ter uma vista incrível da cidade inca. Quando os incas visitavam Machu Picchu, esta era a primeira vista que eles tinham da cidade que é a mesma para quem opta por chegar em Machu Picchu através da Trilha Inca.

Porta do Sol

Porta do Sol

Trilha da Porta do Sol Machu Picchu

Trilha da Porta do Sol – Vista para Machu Picchu

Trilha da Porta do Sol Machu Picchu

Trilha da Porta do Sol – Vista para Machu Picchu

Machu Picchu – Trilha da Ponte Inca

Quando terminamos a Trilha da Porta do Sol nos encaminhamos para o local de acesso da Trilha da Ponte Inca. Diferentemente da Trilha da Porta do Sol, na Trilha da Ponte Inca há um pequeno controle de acesso onde você registra o seu nome e horário que começou a fazer a trilha.

Nós encontramos poucas pessoas fazendo este caminho e, apesar disso, ele é muito tranquilo de ser feito. Todo o caminho é praticamente plano e sem nenhum obstáculo, mas em alguns pontos você passa por desfiladeiros onde a largura do caminho é suficiente para duas pessoas e não há proteção.

Trilha da Ponte Inca Caminho

Trilha da Ponte Inca – Caminho

Trilha da Ponte Inca Caminho

Trilha da Ponte Inca – Caminho

O percurso de ida e volta dura aproximadamente 40 minutos e o caminho é bem bonito, sendo possível até avistar a Usina Hidrelétrica Central Machupicchu que está no Rio Urubamba e gera energia para as regiões de Cusco, Puno e Apurimac.

Trilha da Ponte Inca Usina Hidreletrica

Trilha da Ponte Inca – Vista para a Usina Hidrelétrica

No final da trilha você chega na Ponte Inca que está desativada por não ser mais utilizada como meio de transporte. A ponte não tem nada demais, mas com certeza fazer este caminho vale a pena se você procura por rotas adicionais para serem feitas enquanto visita Machu Picchu.

Ponte Inca

Ponte Inca

Ponte Inca

Ponte Inca

A visita em Machu Picchu foi uma das visitas mais incríveis que já fizemos em todas as nossas viagens. Além de toda a história, arquitetura e sabedoria que são vistas nas construções, toda a beleza natural da região também impressiona e faz com que os seus olhos se encham de lágrimas. Com certeza vale uma visita e, se tivesse alguma coisa que faríamos diferente, seria reservar dois dias para visitar Machu Picchu e fazer as outras rotas alternativas.


Fabulous Peru Tours

O blog my Destination Anywhere recebeu apoio da Fabulous Peru Tours para a aquisição do ingresso para Machu Picchu e a contratação de um guia. A parceria foi realizada, mas a opinião expressa no relato é pessoal.

Faça suas reservas com a gente!

 

Faça suas reservas clicando nos links dos nossos parceiros. Você não vai pagar nada a mais por isso e o blog ganha uma comissão para continuarmos trazendo novos conteúdos e é uma ótima maneira de retribuir as informações que você obteve no blog. Todos ganham!

1477164494_city Reserve seu hotel pelo Booking.com

1477164553_car Alugue seu carro com a RentCars

1477164568_add Adquira seu seguro viagem com a Real Seguros

1477164715_camera Reserve seus tickets para atrações pela Ticket Bar (EUA e Europa) e com a DayTour4u (Argentina, Colombia e Uruguai, e Brasil)

1482250327_mobile Compre câmbio com Melhor Câmbio

1482250327_mobileCompre seu chip com a EasySym4U

1477164599_editdocument Quer um roteiro de viagem pronto? Conheça a coleção 3 Days Anywhere

Você precisa fazer uma reserva de hospedagem?

Me encontre

Erick Stengrat

Sou formado em Química pela USP, trabalho com Desenvolvimento de Embalagens e também sou responsável pelo conteúdo do blog my Destination Anywhere. Adoro viajar para destinos isolados, mas também não dispenso uma cidade grande. Já pisei em 11 países e só penso em aumentar a lista.
Me encontre

Tire sua dúvida ou faça um comentário legal =)

3 thoughts on “Machu Picchu: Visitando a Cidade Perdida dos Incas

    • Erick Stengrat Autor do post

      Olá Mariana, tudo bem?
      Eu sei que o caminho de Huayna Picchu é mais apertado mesmo e tem trechos que só passa uma pessoa por vez. De qualquer maneira, as duas trilhas que eu fiz (Trilha da Porta do Sol e Punte Inka) são tranquilas de serem feitas e vale muito a pena como uma alternativa, principalmente a Trilha da Porta do Sol.
      Abraços

  • Mariana

    Toda vez que vejo algo de Machu Picchu fico emocionada. Imagina quando for minha vez de ir! Quero fazer todas as trilhas, mas tenho medo. Caminho apertado e sem projeção me deixou apreensiva hahaha